Revascularização de osso (osteonecrose, necrose asséptica)

  • MICROCIRUGÍA
  • Revascularización de hueso (osteonecrosis, necrosis aséptica)

REVASCULARIZAÇÃO DO OSSO


A osteonecrose ou necrose asséptica consiste no infarto do osso. É mais frequente nas epífises porque têm pior vascularização. Frequentemente deve-se ao tratamento crónico com corticoides (em doenças reumáticas ou oncológicas). As localizações mais frequentes são a anca, o astrágalo e os côndilos femorais (Fig. 9A-B ).



O perónio vascularizado é uma técnica ideal no tratamento da osteonecrose da cabeça femoral para evitar a progressão do afundamento da cabeça, a artrose da anca e uma eventual prótese da anca. O perónio vascularizado permite o aporte de sangue à cabeça femoral e a revitalização-revascularização da mesma. Estudos mediante medicina nuclear do Dr Soldado demostram este fenómeno (Fig. 9 C-D). Com este tratamento evitaremos a colocação de uma próteses da anca em idades precoces.

Fig. 9A
Figura 9A. A radiografia mostra uma alteração do sinal na cabeça femoral esquerda e um inicio de afundamento da mesma. É um paciente de 15 anos que toma corticoides como tratamento de um problema reumático.


 

Fig. 9B
Figura 9B. A RM mostra a área de necrose da cabeça femoral. Sem tratamento, a cabeça progredirá,
deformando-se, aparecerá uma artrose precoce que requererá uma prótese.

 

Fig. 9C

Figura 9C. Enxerto de perónio vascularizado prévio à implantação. Está a adequar-se o comprimento
necessário e aproveitar-se o periósteo para aumentar o aporte de células mãe mesenquimais.

 

Fig. 9D

Figura 9D. Radiografia mostrando a colocação do enxerto de perónio vascularizado dentro da cabeça femoral através de um túnel cervical para levar sangue à zona onde existia a osteonecrose, agora ocupada por enxerto de crista ilíaca.

 

Fig. 9E
Figura 9E. O estudo mediante SPECT TC mostra uma grande atividade na cabeça femoral.
Isto significa uma grande vascularização da mesma devido ao tratamento com um perónio vascularizado.

 

Além disso, o Dr Soldado descreveu o uso de periósteo vascularizado em locais do pé e do punho, com bons resultados, na revascularização de osteonecrose de astrágalo e de escafoide (Doença de Preiser) (Fig. 10).
 


Figura 10A. RM que mostra um área de necrose no corpo do astrágalo. O paciente de 14 anos
toma corticoides por uma doença reumatológica. Para revascularizar a zona de necrose, o
Dr Soldado implantou um retalho de periósteo vascularizado procedente do primeiro metatársico.


 

Fig. 10B

Figura 10B. Nestas imagens mostra-se o bom resultado da técnica. O astrágalo não se colapsou, o movimento do tornozelo recuperou-se e o SPECT TC demostra a revascularização do astrágalo.
 

O Dr. Francisco Soldado é especialista em problemas nas extremidades superiores das crianças e na reconstrução com técnicas microcirúrgicas das extremidades das crianças.

Em seus esforços para aperfeiçoar estratégias e técnicas de tratamento, ele colaborou com vários centros de referência em todo o mundo.

CONSULTAS MÉDICAS

Vall d'Hebron Hospital Campus
Passeig de la Vall d'Hebron, 119-129
08035 Barcelona

Hospital de Nens
Carrer Consell de Cent, 437
08009 Barcelona

Unidad de Cirugía Artroscópica
C/ Beato Tomás de Zumárraga 10 Hospital Vithas San José, 4ª Planta
01008 Vitoria-Gasteiz

Centro Médico Teknon
Carrer de Vilana, 12
08022 Barcelona