Problemas de ombro de uma criança com PBO

PROBLEMAS DE HOMBRO CON PARÁLISIS BRAQUIAL OBSTÉTRICA


O que é a contractura em rotação interna do ombro (CRIO) e a Displasia do ombro ou displasia gleno-umeral (DGU)?

  • A CRIO consiste no posicionamento fixo do ombro em rotação interna que não pode rodar para fora.
  • A DGU consiste numa deformidade da articulação do ombro caracterizada por uma luxação posterior da cabeça do úmero e redução do seu tamanho.

Alguns conceitos do ombro

A articulação do ombro é do tipo “Bola-Cavidade”. A cabeça do úmero é esférica e está na cavidade da omoplata denominada de cavidade glenoideia. Por ser uma articulação esférica permite movimentos do ombro em muitas direções, incluindo movimentos de rotação (figura 1).

 Fig. 1 wcmi dgh 

Figura 1. Articulação do ombro. A cabeça esférica do úmero (1) articula-se com uma cavidade (2, cavidade glenoideia) da omoplata. Por ser uma articulação esférica permite movimentos do ombro em muitas direções, incluindo movimentos de rotação.

Movimentos de rotação do ombro. Músculo sub-escapular e Músculos rotadores externos (Figura 2)

Existem muitos músculos no ombro.
O músculo sub-escapular é um músculo profundo, situado na face anterior da escápula/omoplata e é o mais importante para a rotação interna do ombro.
Na face posterior da escápula/omoplata situam-se os músculos rotadores externos que rodam o ombro para fora.

Fig. 2 wcmi dgh

Figura 2. Visão anterior do tórax e ombro. O músculo sub-escapular situa-se por diante da escápula e faz rotação interna do ombro. (1) escápula (2) ms. Sub-escapular (3)cabeça úmero

Fig.3 wcmi dgh

Figura 3. Visão posterior do tórax e ombro. Os músculos rotadores externos situam-se por detrás da escápula e fazem rotação externa do ombro. (1) escápula (2) cabeça úmero (3) ms. rotadores externos.

 Fig. 4 wcmi dgh 

Figura 4. Corte transversal ao nível dos dois ombros. . O músculo sub-escapular (3) situa-se por diante da escápula e faz rotação interna do ombro. Os músculos rotadores externos (4) situam-se por detrás da escápula e fazem rotação externa do ombro. (1) cabeça úmero (2) escápula.

Medição do movimento de rotação externa do ombro. Exercícios de rotação externa passivos do ombro.
A forma de medir a rotação externa do ombro e de fazer os exercícios passivos é com o braço junto ao tórax e o cotovelo flectido a 90º. Estabilizamos a escápula contra o tórax com uma mão e com a outra rodamos para fora o antebraço e mão (Figura 5).

Fig.5 wcmi dgh

Figura 5. Figura 5. Com uma mão estabiliza-se a escápula, com a outra roda-se para fora a extremidade/membro mantendo o braço pegado o tórax e o cotovelo em ângulo recto. Estes exercícios são fundamentais nas crianças com PBO para prevenir os problemas do ombro.

 

Porque se origina a CRIO?

A contractura em rotação interna deve-se a um encurtamento do músculo sub-escapular.

Estudos experimentais do Dr Soldado demonstram que o encurtamento do músculo sub-escapula deve-se à falta de estiramento cíclico pela paralisia dos músculos rotadores externos do ombro. Os músculos rotadores externos geralmente tardam mais em recuperar a capacidade de contração. Ao não fazer rotação externa do ombro, o músculo sub-escapular não se estira e provoca provocando a insuficiência no seu crescimento em longitude.
 

 

Porque se origina a DGU?

A posição mantida em rotação interna do ombro faz com que a cabeça do úmero se desloque progressivamente para trás e saia da sua cavidade (cavidade glenoideia) (Figura 6). À medida que se vai luxando, mais deformada fica a articulação, pior é o movimento ou função da extremidade / membro e pior são os resultados do tratamento. Se não se trata a CRIO , a deformidade do ombro produz-se progressivamente e de forma precoce; aos 3 meses de idade. Sem tratamento, aos 2 anos de idade as deformidades são severas.

 Figura-6-DGH.jpg
 

Figura 6. Ressonância magnética. Corte transversal ao nível dos ombros que mostra a deslocação da cabeça do úmero para trás (seta à sua esquerda), compare com o outro lado. Sem tratamento a luxação (deslocação) progride e perde-se movimento no ombro. (1) cabeça úmero (2) escápula


 

O Dr. Francisco Soldado é especialista em problemas nas extremidades superiores das crianças e na reconstrução com técnicas microcirúrgicas das extremidades das crianças.

Em seus esforços para aperfeiçoar estratégias e técnicas de tratamento, ele colaborou com vários centros de referência em todo o mundo.

CONSULTAS MÉDICAS

Vall d'Hebron Hospital Campus
Passeig de la Vall d'Hebron, 119-129
08035 Barcelona

Hospital de Nens
Carrer Consell de Cent, 437
08009 Barcelona

Unidad de Cirugía Artroscópica
C/ Beato Tomás de Zumárraga 10 Hospital Vithas San José, 4ª Planta
01008 Vitoria-Gasteiz

Centro Médico Teknon
Carrer de Vilana, 12
08022 Barcelona